50 Conselhos úteis para poupar energia

Água

- Regule o seu equipamento de aquecimento de água para um nível que lhe permita um uso confortável, mas de forma a evitar situações de sobreaquecimento, poupando energia e evitando o recurso à água fria para fazer a compensação.

- Desligue o esquentador quando não é mais preciso.

- Isole bem o reservatório do seu termoacumulador para reduzir as suas perdas de calor, e consequente necessidade de maior energia para compensar essas perdas.

- A instalação de um temporizador para aquecer a água apenas quando é necessário, evita que este equipamento esteja sempre a consumir energia para manter água quente numa altura que esta não é necessária.

- Se está indeciso entre um esquentador a gás e um termoacumulador, a primeira opção é mais económica. Esta economia aumenta se tiver gás natural em casa.

- Para reduzir as perdas de calor na tubagem da água quente, principalmente quando esta tem uma longa viagem a fazer, isole os tubos de água quente com material próprio. Vai ver que a água lhe chega bem mais quentinha, e que se calhar pode diminuir a força do esquentador.

- A localização dos espaços que precisam de água quente próximo do equipamento de aquecimento da água, reduz as perdas de calor que se verificam muitas vezes no transporte da água quente quando tem que percorrer distâncias grandes.

- De 3 em 3 meses deve ser drenada 1/4 da água do termoacumulador, a partir da válvula na parte inferior do depósito para prevenir o aumento da sedimentação de materiais.

- Considere a instalação de um sistema solar para aquecer as suas águas sanitárias. Se não tiver empréstimo à habitação pode retirar benefício deste investimento no IRS.

- Se tem uma piscina, use a cobertura pois esta diminui as perdas de calor para a atmosfera, e também reduz a sujidade.

- Utilize painéis solares para aquecer a água da piscina. A energia é gratuita.

- Reduza o período de funcionamento da bomba da piscina para o nível necessário para manter a água limpa, não desperdiçando energia com o uso excessivo da bomba. Se não vai usar a piscina num período de 5 dias ou mais, desligue o aquecimento completamente.

Climatização

- Se o seu aquecimento (ou ar condicionado) fica sistematicamente ligado por esquecimento, um temporizador resolve-lhe o problema. Inclusive, se optar por um modelo mais avançado, pode programá-lo para ligar/desligar em alturas específicas, como por exemplo ligar um pouco antes de chegar a casa.

- Se tem lareira com chaminé sempre aberta ao céu, no Inverno o frio entra-lhe por aqui. A aplicação de um mecanismo que lhe permita fechar a chaminé quando a lareira não está a ser usada, é aconselhada para evitar a entrada do frio indesejado.

- Uma lareira com recuperador, não só é mais segura, pois está fechada, como também é muito mais eficiente que uma lareira aberta, consumindo menos lenha e dando mais calor à casa.

- Aqueça (ou arrefeça) somente as divisões onde vai estar, e pelo tempo necessário, desligando o equipamento algum tempo antes de deixar a divisão.

- Regule o termostato do seu sistema de aquecimento/arrefecimento para uma temperatura que lhe dê o conforto mínimo pretendido, em ver de aquecer/arrefecer excessivamente a divisão. Cada grau de diferença para aquecer/arrefecer significa um aumento significativo no consumo de energia.

- Se tem radiadores em paredes exteriores, proteja-os com reflectores, colocando-os entre a parede e o radiador, diminuindo as perdas de calor para o exterior.

- No Verão o exaustor ajuda a retirar o calor da cozinha, causado pelo uso do fogão e do forno, diminuindo as necessidades de arrefecimento da casa com a ventoinha ou o ar condicionado.

Cozinha

- Nos fogões e placas a gás, a chama e o disco não devem ultrapassar a base do recipiente para se maximizar o aproveitamento do calor.

- Ao utilizar o forno, deve desligá-lo algum tempo antes de finalizar o cozinhado, pois o forno manterá a temperatura durante algum tempo.

- Sempre que possível, durante a confecção dos alimentos tape bem os recipientes.

- Desligue o lume um pouco antes de terminar o cozinhado, pois o calor presente no tacho é suficiente para acabar de cozer os alimentos. As chapas eléctricas podem ser desligadas alguns minutos antes, pois demoram a arrefecer, ficando ainda a transmitir calor para o tacho.

- Descongelar os alimentos, antes de os cozinhar, e sem recurso ao micro-ondas, é duas formas de poupar energia. Poupa na redução do uso do micro-ondas e no menor tempo que precisa para cozinhar os alimentos.

- Regule a chama do fogão para o mínimo suficiente para manter a fervura.

- Quanto mais limpos estiverem os reflectores do fogão, melhor o calor será reflectido.

- Abrir a porta do forno é desperdiçar energia, pelo que deve reduzir esta operação ao mínimo. Verificar se a porta veda bem, e não deixa escapar o calor, também é extremamente importante.

- Faça um pré-aquecimento do forno de menor duração do que o indicado, pois os tempos sugeridos são maiores do que o necessário.

- O uso de recipientes de cerâmica ou vidro permite baixar cerca de 25ºC a temperatura necessária ao cozinhado, pois estes materiais retêm melhor o calor.

- Se está a ponderar a escolha entre um forno eléctrico ou a gás, a opção pelo a gás é muito mais económica. Se tiver gás natural, essa poupança é acentuada.

- A chama do fogão tem que ter forma cónica e cor azulada. Se assim não for deve chamar um técnico para afinar o fogão, pois está a desperdiçar gás.

- Um forno com ventilação cozinha mais depressa, gastando assim menos energia a cozinhar.

- Um forno com luz (que possa ser ligada e desligada), bem como com temporizador, permite monitorizar os cozinhados sem estar sempre a abrir a porta poupando energia.

- Mantenha o seu forno limpo, pois assim o calor irá reflectir-se melhor, consumindo menos energia no processo.

- Antes de ligar o forno coloque a grelha ou tabuleiro na posição pretendida, para não estar a executar estas tarefas com o forno já ligado, não desperdiçando energia com estas tarefas.

- Se tem um forno grande utilize-o somente para cozinhar grandes refeições, porque senão estará a consumir muita energia por pequenas quantidades de alimento.

- Se vai colocar mais que um tabuleiro no forno, não se esqueça de deixar espaço entre eles por forma a permitir que o calor circule no meio.

- Utilize a panela de pressão – Cozinha muito mais rapidamente e mais economicamente.

- Para descongelar e aquecer comida utilize o microndas em vez do forno, pois requer muito menos energia para efectuar estas funções.

- Não coloque mais água a ferver do que o necessário, pois ao aquecer água que não precisa vai estar a desperdiçar energia.

- Se cozinhar os alimentos em pedaços mais pequenos, vai ser necessário menos energia para o fazer, e vai ficar com o cozinhado pronto mais rapidamente.

- A presença de gelo nas paredes do congelador, implica um aumento no consumo de energia. Assim, deve evitar a formação destas camadas, fazendo a limpeza do gelo atempadamente.

- A temperatura ideal de conservação dos alimentos é entre 3 e 5º C. Se regular o termostato para temperaturas inferior a 3ºC está a aumentar o consumo sem necessidade.

- A grelha exterior do frigorífico deve ser limpa pelo menos uma vez por ano, para evitar grandes acumulações de poeiras e consequente redução na eficiência de arrefecimento do frigorífico, causando maior consumo de energia.

- Se souber o que vai cozinhar amanhã, passe hoje os alimentos necessários para o frigorífico. Ao descongelarem no frigorífico os alimentos estão a dar frio, reduzindo o trabalho do frigorífico.

- Os alimentos retêm melhor o frio do que o ar, por isso quanto mais cheio estiver o frigorífico melhor. Mas não abuse, os alimentos não podem estar comprimidos, pois o ar frio precisa de circular no frigorífico.

- Deixe os alimentos arrefecerem antes de os colocar no frigorífico, porque senão o frigorífico vai ter que trabalhar mais para baixar a sua temperatura.

Isolamento/edifícios

- As janelas com vidros duplos conservam muito mais a temperatura no interior da casa do que se tiver vidro simples, reduzindo necessidades de recurso a aparelhos para aquecer/arrefecer a casa.

- Uma casa com isolamento tem uma maior eficiência energética, pois diminui as trocas de calor com o exterior, reduzindo as necessidades de arrefecimento no verão e aquecimento no Inverno. Este deve ser no meio da parede dupla, ou no exterior no caso da parede ser simples.

- Se nota que há passagens de ar através das suas portas e janelas, então está a perder calor para o exterior. A calafetagem destas zonas é importante, para reduzir estas perdas, e evitar maiores consumos de energia com uma maior necessidade de aquecimento da casa. No entanto, não se esqueça que a casa precisa de arejar para renovar o ar no seu interior.

- A protecção das janelas com estores ou palas, ao longo do dia, é fundamental para reduzir o aquecimento da casa no Verão, pois é pelos vidros que o calor mais passa e mais rapidamente.

- O uso de cores claras na casa, reflecte mais a luz natural, reduzindo o aquecimento das paredes e a necessidade de iluminação artificial, quando a natural ainda está disponível.

- Se tem um sótão que não é habitado, considere a aplicação de isolamento. É por aqui que se perde uma grande percentagem do calor da casa no Inverno, e que se ganha no verão. A aplicação do isolamento vai prevenir estas trocas indesejadas.

Electrodomésticos

- Ao comprar um electrodoméstico, um factor a ter em conta é a classe de eficiência (de afixação obrigatória). Comprar um electrodoméstico de classe A até pode implicar algum investimento, mas a poupança na factura da electricidade ao longo dos anos torna-o um investimento seguro.

- O afastamento do frigorifico de fontes de calor (fogão, janelas) é muito importante para manter a sua eficiência energética, pois quanto mais este aquecer mais vai ter que trabalhar para arrefecer, e consequentemente consumir mais energia.

- Verifique se as borrachas do frigorífico estão a vedar bem, entalando uma folha de papel na porta. Se ao puxar a folha não sentir resistência então as borrachas não estão a vedar bem, estando-se a perder muita energia por aqui.

- Na lavagem da loiça e da roupa ajuste a carga da máquina à capacidade útil indicada pelo fabricante de forma a não desperdiçar energia.

- Ao comprar uma máquina de lavar loiça ou roupa, não só deve ter em atenção a eficiência energética, mas também as eficiências de lavagem, centrifugação (roupa) e secagem (loiça). Só assim garante que tem um equipamento que é eficiente no uso da energia e nas suas funções.

- A limpeza dos filtros das máquinas de lavar roupa e loiça é importante para que o consumo de electricidade não aumente com a utilização destes equipamentos.

- Grande parte da electricidade gasta numa lavagem é para aquecer a água. A utilização de programas a baixas temperaturas, diminui assim a factura da electricidade, e a sua roupa vai ficar bem lavada na mesma. Com a eficácia dos detergentes, até a frio fica com a roupa bem lavada.

- Se vai secar a roupa na máquina, centrifugue-a o melhor possível. Assim gasta muito menos energia ao secá-la, pois a secagem pela centrifugação é 70 vezes mais económica que a da máquina de secar. A rotação mínima neste caso deve ser de 750 rpm.

- Se se coloca esta questão, não se esqueça: uma máquina de lavar e secar roupa tem uma eficiência de secagem menor que uma máquina só de secar roupa.

- O uso do programa suave, em vez do normal, faz com que o motor da máquina não tenha que trabalhar tanto, consumindo menos energia.

- Uma máquina que pesa a roupa que vai lavar (função já bastante comum), vai usar e aquecer somente a água necessária para essa lavagem, reduzindo desperdícios de energia a aquecer água que é excessiva para aquela carga.

- Se está a pensar comprar uma máquina de secar roupa, pense melhor as suas possibilidades. O clima existente em Portugal não justifica o recurso à máquina a não ser em determinadas alturas do Inverno. Então porquê ir pagar energia que pode ter de graça?

- Se a máquina de secar tem um dispositivo de medição da humidade, use-o, pois este irá desligar-lhe a máquina quando as roupas estiverem secas.

- Seque os tecidos leves e os pesados em separado. Desta forma terá toda a roupa seca em simultâneo.

- Não misture roupas húmidas com uma carga que já esteja parcialmente seca.

- Se passar a loiça por água (fria), retirando a maior sujidade, depois não precisará de a lavar a um programa mais forte, com uma temperatura tão elevada. Mas cuidado, mas não faça esta pré-lavagem de torneira aberta.

- Se a sua máquina permitir a selecção do tempo de secagem, reduza-o ao mínimo. Senão, desligue a máquina após o enxaguamento final, e abra a porta. A loiça vai secar sem precisar de gastar energia.

- A máquina da loiça deve estar afastada do frigorífico, pois o seu calor e humidade prejudicam o funcionamento deste. Se não tiver outra hipótese, envolva o frigorífico com um revestimento em espuma isoladora para minimizar o efeito.

- Se a sua máquina tem botões que permitem uma poupança de água e energia na lavagem, utilize-os.

Menos tempo, e na mesma
em lavado – Procure perceber qual é o ciclo de lavagem mais curto que lhe permite uma boa lavagem da loiça. Use-o.

- A instalação de um contador bi-horário permite-lhe poupar na sua factura, se concentrar os seus consumos ocasionais (lavagens de roupa e louça, passagem de roupa a ferro, etc.) nos períodos mais económicos.

- Desligue o ferro duas ou três peças antes do final, pois o ferro continua ainda a difundir calor, que assim é aproveitado.

- No uso de qualquer electrodoméstico siga sempre as recomendações do fabricante, pois só assim optimiza a sua eficiência.

Outros equipamentos

- A manutenção dos equipamentos melhora a sua eficiência, reduzindo-se os desperdícios de energia na utilização dos equipamentos.

- O screensaver do monitor não poupa energia. Para poupar energia nos períodos em que o computador está ligado sem ser usado deve ser utilizado o modo de suspensão.

- Os monitores LCD (Liquid Crystal Display) são os mais eficientes no consumo de energia.

- A maior fatia de consumo do computador vai para o monitor. Se o computador ficar a realizar alguma tarefa que não requer a sua presença, desligue o monitor.

- Não tenha a fotocopiadora nem a impressora ligada quando não está a precisar delas.

- Devido à necessidade de autonomia dos portáteis, estes equipamentos tornaram-se mais eficientes que os computadores de secretária.

- Procure o símbolo Energy Star pois é indicador que o equipamento tem modos de poupança de energia quando não estão a ser usados. Na Europa é principalmente visível nos equipamentos informáticos. Mas tenha em atenção o consumo do equipamento quando está a ser usado. Este símbolo não diz respeito a esse factor.

- As impressoras e faxes a laser consomem mais que as a jacto de tinta e a diferença na qualidade já não é assim tão grande.

- O comando é muito prático, mas não desliga realmente a televisão. Um equipamento em stand-by está na mesma a consumir energia, e é um consumo que não é desprezável, e por vezes não é muito diferente do consumo do aparelho ligado. Ao fim de um ano este consumo pode representar uma diferença de 50€ na sua factura da electricidade.

- Se precisa de ter um fax sempre ligado, na sua compra deve analisar o seu consumo em stand-by pois este vai ser um consumo muito importante na utilização do fax.

- Se precisa de um fax, se este for incorporado no modem poupa mais energia pois não está a gastar na utilização da máquina de fax.

- As pilhas recarregáveis são mais caras que as descartáveis, mas se utilizar pilhas com alguma frequência, em brinquedos e equipamentos portáteis, esta opção é muito mais compensadora, pois as pilhas recarregáveis têm um grande período de vida que dá retorno ao investimento que é realizado.

- Quanto mais próximo forem fabricados os bens (alimentos, vestuário), menos energia é gasta no seu transporte.

Iluminação

- As lâmpadas mais económicas são as fluorescentes tubulares e as fluorescentes compactas, que emitem a mesma luz que uma lâmpada incandescente convencional, gastando menos 80% de energia.

- Utilize, sempre que possível, a iluminação natural. Estará a poupar electricidade.

- Uma lâmpada de 100w consome o mesmo que quatro de 25w, mas emite quase o dobro da luz. Assim, num candeeiro com vários casquilhos, opte por ter só uma lâmpada (ou duas) de maior potência, deixando nos restantes casquilhos lâmpadas fundidas – é mais seguro, e mais bonito também.

- Se há aquela luz que fica sempre ligada porque se esqueceu dela, considere instalar um cronómetro. Assim, ela vai sempre desligar-se, por si mesma. Na escolha do cronómetro tenha em atenção o tempo que normalmente precisa de ter a luz onde o vai aplicar acesa.

- Se pensa que a lâmpada está fraca e precisa de ser substituída, primeiro experimente limpá-la. O pó que se acumula nas lâmpadas reduz a luz que estas emitem, dando a ideia de que estas já não estão a funcionar devidamente.

- Existem no mercado interruptores que permitem regular a iluminação dada pelas lâmpadas. Se regular para uma intensidade menor de luz vai estar a poupar energia. No entanto nem todas as lâmpadas permitem o uso destes interruptores.

Bookmark and Share